carreira docente

Que tal pagar suas contas com aplausos?

Mary
Escrito por Mary em abril 29, 2007
Junte-se a mais educadores

Entre para nossa lista e receba novidades com prioridade

Absurdo este título não é? Mais ainda é achar que para educadores, apenas “bla-bla-blá” e aplausos podem substituir uma boa remuneração.

Esta é a idéia difundida na mídia, particularmente na revista Veja. Uma delas está disponível no site do Anglo. Depois de ler é possível entender porque um sistema de ensino valorizaria o que está dito nesta matéria.

Neste texto, Claudio de Moura Castro, apresenta uma “fórmula” para os problemas da educação.Para o ECONOMISTA, basta o “feijão com arroz” para que as escolas sejam bem-sucedidas. e estas deveriam ser administradas como empresas.

Ele afirma que o bom professor é o que sabe o conteúdo de sua matéria e para isso ele nem precisa conhecer “teorias pedagógicas”. O que ele precisa é de livros de “boa qualidade”, “detalhados e universalmente usados”. Os professores não precisam “criar” sua aula,  pois “existe uma retaguarda de planejamento e explicitação de tudo o que acontece na aula (os livros e os guias dos professores oferecem bancos de perguntas, de exercícios e de aplicações práticas)”.

Em outras palavras, este professor, “bom e barato”, que deve ser capaz apenas de ler e compreender manuais, seguindo-os  a risca, nem teria competência para “criar alguma coisa”, para isso existem os “seres superiores”, que são os editores dos manuais didáticos.

Nesta mesma linha,  outra matéria da revista Veja, apresenta um “exemplo de sucesso”: Luxo Zero, ensino nota dez. Mostra um fato “surpreendente”, segundo a  reportagem: afirma que as melhores escolas públicas do Distrito Federal são também as mais pobres. Dentre vários aspectos e possivelmente muito “voluntariado”, a matéria destaca que os professores permanecem no emprego  por receberem “incentivos pelo bom desempenho dos estudantes em sala de aula. Em alguns casos são presenteados com livros e material didático alternativo. Noutros, são aplaudidos em cerimônias públicas. Tudo simbólico. No fim do mês ganham salários iguais aos do restante da classe. “

Para concluir, outra “grande contribuição” do Claudio de Moura Castro:
“A pesquisa traz mais uma prova de que o salário dos professores, assim como a infra-estrutura da escola, não é determinante de um bom ensino. A excelência, como se vê, resulta de uma cartilha bem mais simples, aplicada à risca nos animados galpões de Recanto das Emas.”

Pois bem… é obrigação dos professores fazer um bom trabalho, mas também lutar por melhores condições para isso, ser crítico e buscar autonomia. Se aplausos e prêmios estão servindo para manter professores “dadores de aulas” e “seguidores de cartilhas” , isto é realmente uma vergonha. Outra coisa é se contentar com o mínimo sempre que falamos de educação pública.

Ao mesmo tempo que  vejo  a boa intenção dos professores em fazer um bom trabalho e incentivar a leitura, não me sinto na obrigação de achar que todos os educadores teriam a obrigação de não mudar de escola ou emprego apenas por “amor a educação”. Ora, será que o Claudio de Moura Castro aceitaria trabalhar com má remuneração e  “aplausos” pelo bem da educação? Será mesmo que não perdemos bons profissionais por falta de reconhecimento? Confesso que fico muito feliz quando vejo um bom educador mudar de emprego ou escola e realmente conseguir um melhor salário, assim como, quando vejo alguém recusar uma proposta pela “cara-de-pau” do contratante que acha que para professor apenas bajulação serve. Sinceramente, nem garota de programa trabalha desta forma. Possivelmente quem propõe este tipo de coisa, está pensando justamente em engordar a própria conta bancária e jamais aceitaria esta forma como recompensa pelo seu trabalho. Por que então os professores deveriam aceitar?

Outros link interessantes para continuar a discussão:  http://www.reportersocial.com.br/noticias.asp?id=1135&ed=universidade 

PS: Mensagem enviada a Veja:

Gostaria de deixar os meus “aplausos” ao empreendedorismo exercido na escola de Recanto das Emas. Mas como  aplausos não pagam as contas e bons professores merecem reconhecimento financeiro também, sugiro que estes professores incluam a matéria publicada em seus currículos e reivindiquem melhores condições de trabalho na própria Secretaria de Educação, afinal, cumpriram direitinho o que foi solicitado.

Se não conseguirem mais do que aplausos, aparecer no jornal da Secretaria ou ganhar mais material para que consigam “dar” melhores aulas, outras instituições privadas de ensino, que porventura precisem de profissional com o mesmo perfil e que poderiam pagar “ao menos um pouco melhor” deveriam contratá-los.

Bons educadores precisam sim de reconhecimento profissional.Enviado por Mary G. em 29 Abril, 2007 – 17:51
Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Comentários feitos originalmente no blog da Vivência Pedagógica:

Contribuição

Discussões muito pertinentes. Também não sou nada fã do tal Claudio, acho que fala muita besteira e concordo que enquanto economista ele deva estar no seu lugar e não pensando que é um especialista em educação. Aliás, quando falamos de educação muitos profissionais que não tem nada a ver com a área querem discutir de igual pra igual. Precisamos nos valorizar, R$ 850,00 pode ser bom para o Nordeste, mas não pra nós. Qualquer aluno que sai do ensino médio e começa a trabalhar, se bobear ganha mais que um professor!!!Lamentável.
Sou aluna do Curso de Especialização em Tecnologias da UFRGS – Eproinfo, me surpreendi com a qualidade das discussões deste blog!!!
Abraço a todos.Enviado por Neura – PROA 17 (not verified) em 1 Junho, 2007 – 21:01Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Re: Que tal pagar suas contas com aplausos?

Mais do aplausos e dinheiro para pagar as contas, nós, professores precisamos deixar nossas salas de aula satisfeitos, realizados, certos de que nosso alunos estão melhores do que antes de assistirem nossa aula.Abraços.GelsiEnviado por Gelsi (not verified) em 21 Maio, 2007 – 15:43Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Re: Que tal pagar suas contas com aplausos?

Mais do aplausos e dinheiro para pagar as contas, nós, professores precisamos deixar nossas salas de aula satisfeitos, realizados, certos de que nosso alunos estão melhores do que antes de assitirem nossa aula.Abraços.GelsiEnviado por Gelsi (not verified) em 21 Maio, 2007 – 15:42Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Re: Que tal pagar suas contas com aplausos?

me pergunto: como alguém que não tem o menor entendimento do que seja educação e ou uma escola possa escrever e ser aceito por uma revista de grande circulação? penso que é necessário uma tomada de atitude em relação a isto. o sistema educacional está falho e falido no Brasil. sou professora e me envergonho disto.mentiras são veiculadas a respeito da “bos” educação neste país. as escolas públicas mudaram e há necessidade de melhora-las diante desta mudança.Enviado por selma (not verified) em 16 Maio, 2007 – 22:03Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Re: Que tal pagar suas contas com aplausos?

Pelo amor de Deus… esse Cláudio de Moura Castro é apresentado em uma certa rede de TV como especialista em educação. Já procurei e não encontrei, qual foi a graduação, pós-graduação, mestrado e/ou doutorado em Educação que ele fez? Economista sim, acredito que tenha excelentes contribuições sobre políticas públicas para a educação, mas deveria se ater a somente isso…Enviado por Anônimo (not verified) em 15 Maio, 2007 – 14:06Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Re: Que tal pagar suas contas com aplausos?

Mary, querida!

O que ele quis dizer com isso? Medo… será que ele também se satisfaz com um bom aplauso e o mesmo honorário no fim do mês? Acho que não… é claro que reconhecimento é bom e faz toda a diferença, mas também não paga as contas. Lamentável!Enviado por Vivian Ragazzi (not verified) em 13 Maio, 2007 – 12:08Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Re: Que tal pagar suas contas com aplausos?

Muito pertinente seus comentários sobre o artigo da Veja… Impressionante como uma revista malfeita, que escreve coisas sem nem ao menos se dar ao trabalho de pesquisar e que tem articulistas e escritores tão mal informados, ainda consegue ter apelo como verdade absoluta para uma grande parte da opinião pública…
Queria muito poder viver de aplausos mas, como disse o Ezequiel, acho que minha parte precisaria ser em dinheiro mesmo… No serviço público, muitas vezes me sinto um dom quixote lutando contra moinhos de vento… Até quando é que não sei… :(Enviado por Carlab (not verified) em 7 Maio, 2007 – 09:04Faça o login ou registre-se para enviar comentários

foto do(a) Mary G.

Re: Que tal pagar suas contas com aplausos?

Prezada Elizabeth,

Em primeiro lugar é importante manter o nível da discussão. Você ‘pode ter uma opinião diferente e interpretar de maneira diferente o que lê, porém isso não lhe dá o direito de generalizar ou atribuir “rótulos”.

Em nenhum momento disse que sou petista… ou seja, nao sei de onde você tirou esta idéia. Sobre o articulista, eu comentei uma série de citações do autor, li a matéria sim e ela realmente enfatiza, trazendo exemplos da Finlandia esta visão de educação, que não compactuo. Outra questao é que eu devo criticar  o que achar por bem, este é um direito! Sobre o PAC, também nao concordo com uma serie de questoes, porem, com relação ao mínimo de 850,00 é valido lembrar que isso mudará principalmente a vida dos professores das regiões mais distantes, que não ganham nem 1/4 deste valor. Obviamente é importante lutar por salários mais dignos tanto para o Nordeste como para outras regiões e colocar isso em pauta já é um grande avanço (que contraria a lógica do Claudio de Moura Castro… ou seja, se depender do que ele afirma, basta “motivar” os professores, já que salário não faz muita diferença).

Se você gosta e concorda com tudo o que é escrito da revista Veja, continue assim, esse é um direito seu também. Porem, interpretar os fatos criticamente, isso sim deve fazer parte do compromisso ético de todo educador.

Grata

MaryEnviado por Mary G. em 2 Maio, 2007 – 23:11Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Re: Que tal pagar suas contas com aplausos?

Prof. sim! Aposentado, graças a Deus! Os meus alunos, quando souberam que ia parar; choraram! Hoje, não passo nem em frente de “escolas”. O que pagam a um professor é uma vergonha, é constrangedor (ainda mais se comparado com deputados e senadores???); que ganham(?) fortunas! Parabens Mary…Enviado por prof. Mário (not verified) em 2 Maio, 2007 – 19:11Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Re: Que tal pagar suas contas com aplausos?

Ridículo o comentário postado a respeito da matéria da revista Veja.Pelo jeito, a leitura passou (e passa) longe de sua vida, não é, Mary? Li o artigo de Cláudio de Moura Castro e nele está muito claro que as indicações que você coloca como sendo dele, são, na verdade, o que os professores de escolas da Suécia disseram em entrevista a respeito da qualidade de ensino daquele país. Oras, minha cara, aprenda primeiro a ler e depois faça críticas. Sensatas, de preferência. Se está realmente interessada na vida dos professores, porque não critica esta estupidez do PDE , que sabemos ser apenas blá, blá, blá. Ou será que você acha que os R$850/mês de salário a serem pagos até 2010 são um grande estímulo à educação? Isso sim é que é desrespeitar o professor. Vocês, petistas, adoram criticar a revista Veja, inclusive deturpando o que nela aparece, apenas porque ali são mostrados todos os desmandos e falcatruas deste governo corrupto e safado. Em nome da ética, minha senhora, pare de deturpar as coisas. Se quer fazer críticas, faça-as. É seu direito. Mas paute-se em argumentos e fatos válidos e não os inventados por sua cabeça oca (ou maldosa).Enviado por Elisabeth Porto (not verified) em 2 Maio, 2007 – 18:29Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Re: Que tal pagar suas contas com aplausos?

Somente um articulista medíocre com este poderia escrever tanta besteira! Estou na Educação há 40 anos, em regência de classe(aposentada pelo Estado de PE e na ativa em duas redes municipais). Sou uma apaixonada pela meu trabalho, no entanto, jamais deixei de lutar por melhores condições de trabalho e de salário. O meu Estado está no ultimo lugar na avaliação do SAEB( 5a. à 8a.séries).Esta situação é fruto do descaso dos nossos governantes que não investem na Educação e muito menos nos seus profissionais! Sempre fui olhada como agitadora por reivindicar melhores salários e condições de trabalho. NUNCA RECEBÍ APLAUSOS E POR ISSO NUNCA PAGARAM AS MINHAS CONTAS.Enviado por Auxiliadora Lins (not verified) em 2 Maio, 2007 – 17:47Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Re: Que tal pagar suas contas com aplausos?

Olá amigos da Labuta,

Fiquei muito feliz ao ler o artigo. Há tempos, a leitura da veja, tornou-se para mim, não referencial, mas um código de conduta do que eu não deveria ser enquanto profissional, e foi além demonstrando o que eu não deveria ser para vida humana.

Infelizmente, essa revista, se baseia nos preceitos neoliberais, levando muitos até a acreditar na mesma, numa faceta bem pior do que o próprio neoliberalismo, vejo professores que a lêem e não questionam, aceitam seu conteúdo como pronto e acabado.

Fiquei feliz, pois a muito tempo já não digo veja, e digo ÓIA! Pois veja, não é leitura.

Parabéns Mary,

Conte comigo.

Convido aos amigos, a fazerem partes dos movimentos on-line, nossas campanhas virtuais ganham espaço e adeptos, e levar sim, uma campanha para a veja, para talvez voltar a ser uma revista imparcial e informativa, pois atualmente ela é parcial e deformativa.

Busquem no orkut, comunidades com o nome “Leu na Veja Azar o Seu”, entre outras.

Abraços Fraternos,Enviado por Sidiney Rodrigues (not verified) em 2 Maio, 2007 – 09:05Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Comentando: Que tal pagar suas contas com aplausos?

Acho tão legal quando as pessoas que não são da área vem dar opiniões…(Ainda bem que vivemos em um país democrático).
Um Economista querendo falar de uma sala de aula… Será que eu mereço???

Tudo bem que não tenho faculdade de economia, mas se ele quiser, troco meus alunos pelo escritório dele… Dentre muitas coisas devo até ganhar mais…

Considero uma bela de uma palhaçada (com todas as letras). Falar mal da educação, colocar a culpa em uns e outros, ou no tal do SISTEMA, assim é mole… Cobrar dos professores mais do que podem é fácil, agora não encontramos ainda condições essenciais para se trabalhar em algumas escolas.

Queria eu, poder pagar contas com “Palma$”, pagar a internet, o notebook, a luz, água, condomínio…

Se “Palma$” pagassem as contas eu viveria batendo palmas…. O que vale é a reflexão, de que ainda existem bons profissionais, mesmo que a qualidadde seja péssima…

Precisa sim, rever a remuneração do professor, as capacitações (reciclagens), permitir o acesso nas faculdades e nos cursos de pós-graduação.

Ainda bem que em minha cidade, não recebo em “Palma$” e sim em R$ para pelo menos poder me manter…Enviado por Tomás Costa (not verified) em 1 Maio, 2007 – 03:44Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Re: Que tal pagar suas contas com aplausos?

Até que enfim encontro pessoas que se posicionam a respeito.

É um absurdo ver o crescimento destes sistemas, professores achando que seu trabalho está mais simples e ganhando cada vez menos.

Note que a materia enfatiza muito mais  o lado voluntário, a competencia da secretaria do que o destes proefessores que são aplaudidos. Aceitar isso é uma vergonha.

parabens pelo texto e a todos pela discussão. Temos que passar isso adiante e não simplesmente consumir estas revistas e este tipo de discurso.

Miriá Enviado por Miriá (not verified) em 30 Abril, 2007 – 13:12Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Re: Que tal pagar suas contas com aplausos?

Grande Mary, parabéns pelo texto! Parece que a Mídia e os governantes realmente acreditam (ou querem fazer acreditar) que mesmo com os baixíssimos investimentos que são realizados para educação, a culpa do fracasso é sempre do professor mal preparado e nunca  da indiferença dos políticos com a escola pública. Hoje para me manter (e minhas pesquisas) tenho que trabalhar para instituições particulares que pagam até o triplo do que se recebe do estado, mas ainda me mantenho na educação pública com a maior carga horária, e olhe que mesmo sem aplausos (muitas vezes o contrário), mas confesso que há muito tempo venho me questionando até quando fico assim.  Minha parte queria em dinheiro mesmo!Enviado por Eziquiel Menta (not verified) em 30 Abril, 2007 – 10:49Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Re: Que tal pagar suas contas com aplausos?

É isso aí Mary.

É engraçado que só na educação a idéia de competitividade e esforço para alguma perspectiva de ascensão profissional não é valorizada. Depois as pessoas ficam se perguntando porque não se leva educação à sério.

O lobby das editoras que vendem sistemas de ensino prontinhos é bem influente, é preciso checar se esses articulistas colocam em seus currículos as verbas de assessoria que oferecem para essas empresas.

É triste!

abraços,

Lilian Enviado por Lili (not verified) em 29 Abril, 2007 – 21:21Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Re: Que tal pagar suas contas com aplausos?

Mary:

Eu acharia ótimo pagar minhas contas com aplausos, se todos o fizessem, inclusive o articulista desta revista, que, pelo que leio, recebe salários milionários, para disseminar ideologias de pobreza.Mais triste que isto, é saber que a classe dirigente, a que tem dinheiro, é leitor desta revista e ajuda a difundir os conceitos de que escola pública é para pobre e professor pode ser qualquer um, não precisa pensar e muito menos criar soluções. Pena que não exista uma legislação que obrigue a todos estudarem a escola pública. Aí sim, as coisas mudariam.

AbraçosEnviado por Fátima Franco (not verified) em 29 Abril, 2007 – 19:39Faça o login ou registre-se para enviar comentários

Olá,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *